SkipToMainContent

Segurança das crianças

Cinco formas de proteger seus filhos online com mais pessoas em quarentena


Escrito por um funcionário da NortonLifeLock

Receba seis meses do Norton Family GRATUITAMENTE.

Todos nós queremos manter nossos filhos mais seguros online, por isso estamos fazendo nossa parte.

É por isso que estamos oferecendo seis meses do Norton Family para ajudá-lo a supervisionar as atividades online de seus filhos, mantê-los afastados de sites com conteúdo inadequado e muito mais.

Se você tem filhos, provavelmente quer ter algum controle sobre o que eles fazem online. Pense na Internet como uma cidade grande, mas sem uma estrutura policial adequada. É aqui que você entra.

Muitas famílias passam bastante tempo em casa. Ainda mais agora, devido às preocupações de saúde relacionadas à COVID-19, a doença causada pelo coronavírus. Ficar mais tempo em casa frequentemente resulta em mais horas online e, para as crianças, isso pode incluir escola, lição de casa, socialização, diversão ejogos.

Porém, nem todas as coisas ou atividades online são adequadas para crianças e adolescentes. O que você pode fazer? Você pode ajudar a monitorar o tempo e as atividades online de várias formas. Você pode estabelecer orientações e conferir se elas estão sendo seguidas por seus filhos. Você também pode considerar usar um aplicativo de controle para pais que lhe auxilie a gerenciar algumas dessas tarefas.

Se você se preocupa com a exposição de seus filhos à Internet, veja algumas formas de ajudar a manter as crianças seguras enquanto estão online.

1. Agende limites de tempo para crianças e dispositivos.

Você talvez tenha a impressão de que as crianças ficam mudando de uma tela para outra durante o dia, gastando tempo com smartphones, tablets, notebooks e TVs.

Considere limitar o número de horas por dia ou semana que seus filhos podem usar dispositivos, o tipo de dispositivos que eles podem usar e o tipo de atividades ou programas a que podem ter acesso.

Converse com as crianças para que elas comecem a entender a linguagem das redes e saibam como se autorregular. Essa também é uma boa maneira de descobrir o que elas gostam de fazer online, bem como sugerir novos aplicativos e programas de TV. Você pode agendar uma noite familiar recorrente em que a tela seja liberada.

2. Monitore o que seus filhos estão fazendo online.

Talvez você deixe seus filhos terem seu próprio endereço de email, configurarem suas próprias contas de rede social e usarem a Internet sem supervisão. Nesse caso, é bom conferir o que eles estão fazendo.

Avise seus filhos de que você monitorará os dispositivos deles, e o motivo disso. Peça que eles compartilhem as senhas com você. Explique que não se trata de bisbilhotar, mas sim de segurança.

Pode ser útil saber que tipo de coisas seus filhos estão escrevendo, fazendo download, procurando e assistindo, já que esse conhecimento pode ser útil para iniciar o diálogo.

Seus filhos podem, por exemplo, ter um problema e não saber como levá-lo até você ou podem se deparar com algo online que não seja seguro, e não reconhecer isso.

Se por acaso eles encontrarem comportamento ou conteúdo impróprio online, vocês poderão conversar sobre segurança e o que fazer. Conforme seus filhos aprendam mais sobre como usar a Internet com segurança, você poderá monitorá-los com menos frequência.

3. Defina regras sobre redes sociais.

As redes sociais podem ser um desafio para adolescentes, uma vez que podem ajudar a fortalecer relações. Porém, podem afastá-los do convívio social, potencialmente causando baixa autoestima e exposição a cyberbullying.

Os efeitos das redes sociais variam bastante. Participar de um projeto através do Google Hangouts ou fazer novos amigos pelo Instagram pode ser benéfico. Rolar pelo Snapchat por horas ou lidar com trolls do Twitter geralmente não é a melhor forma de passar o tempo. Converse com seus filhos sobre hábitos de redes sociais e as melhores formas deles usarem seus dispositivos.

Incentive-os a prestar atenção em como eles se sentem antes, durante e após usar as redes sociais. Fale sobre o que está fazendo eles se sentirem bem ou não tão bem. Você pode ajudá-los a resolver problemas, estabelecer limites nas redes sociais e usar recursos de privacidade e filtros de conteúdo.

O que mais? Você pode demonstrar bons hábitos ao não passar muito tempo com seu próprio smartphone.

4. Mantenha-se a par das informações compartilhadas online.

Muitas vezes, informação é a moeda do mundo online. Ela pode ser a contrapartida por serviços ao navegar na Internet, fazer o download de um aplicativo ou inscrever-se em um novo serviço online. Qual é o risco? Crianças podem acidentalmente revelar mais do que devem se não compreenderem como as informações são compartilhadas.

Familiarize-se com os sites que seus filhos visitam, com as redes sociais que eles usam e com os aplicativos de que eles fazem download. Leia as avaliações. Revise os termos e condições do site para ver que tipo de informações a plataforma monitora e armazena.

Você pode também fazer o download dos aplicativos, mexer um pouco neles e se tornar “amigo” de seus filhos. Dessa forma, ocasionalmente você poderá acompanhar o que seus filhos estão compartilhando online.

5. Limite o acesso a sites.

Abrir um site inapropriado pode ser o resultado de um simples erro de digitação ou clicar no link errado. Dependendo da idade e maturidade de seu filho, pode ser interessante configurar restrições de acesso a sites e tipos de downloads que você considera inapropriados. Ensine continuamente aos seus filhos como avaliar se um site é confiável.

Em resumo

Ficar de olho nas atividades online de seus filhos exige esforço. Mesmo assim, é uma boa ideia tomar as medidas para monitorar com quem eles conversam, onde eles vão, o que eles consumem e do que eles fazem download.

Vale a pena também conversar periodicamente sobre cidadania online e se seus filhos ainda concordam com as regras domésticas. O objetivo é manter as crianças seguras online e construir hábitos online seguros e saudáveis.

Se você se encontrar passando mais tempo com seus filhos em casa, por escolha ou necessidade, ficará feliz por ter dedicado tempo para guiá-los pelo mundo online.

Receba seis meses do Norton Family GRATUITAMENTE.

Todos nós queremos manter nossos filhos mais seguros online, por isso estamos fazendo nossa parte.

É por isso que estamos oferecendo seis meses do Norton Family para ajudá-lo a supervisionar as atividades online de seus filhos, mantê-los afastados de sites com conteúdo inadequado e muito mais.

Copyright © 2020 NortonLifeLock Inc. Todos os direitos reservados. NortonLifeLock, o logotipo do NortonLifeLock, o logotipo da marca de verificação, Norton, LifeLock e o logotipo LockMan são marcas comerciais ou registradas da NortonLifeLock Inc. ou de suas afiliadas nos Estados Unidos e em outros países. Firefox é uma marca comercial da Mozilla Foundation. Android, Google Chrome, Google Play e o logotipo do Google Play são marcas comerciais da Google, LLC. Mac, iPhone, iPad, Apple e o logotipo da Apple são marcas comerciais da Apple Inc., registradas nos Estados Unidos e em outros países. App Store é uma marca de serviço da Apple Inc. Alexa e todos os logotipos relacionados são marcas comerciais da Amazon.com, Inc. ou suas afiliadas. Microsoft e o logotipo do Windows são marcas comerciais da Microsoft Corporation nos Estados Unidos e em outros países. O robô Android foi reproduzido ou modificado a partir do trabalho criado e compartilhado pelo Google e é utilizado de acordo com os termos descritos na Creative Commons 3.0 Attribution License. Outros nomes podem ser marcas comerciais dos respectivos proprietários.