SkipToMainContent

Relatório de Informações de Segurança Cibernética do NortonLifeLock

Demonstração das preocupações de segurança cibernética e privacidade dos consumidores

Este  relatório anual examina os comportamentos, as atitudes e os hábitos de segurança online dos consumidores e as preocupações e perigos associados à privacidade e segurança online desses consumidores.

Relatório de Informações de Segurança Cibernética do NortonLifeLock

Os consumidores estão tentando proativamente proteger sua privacidade, mas muitos acham que é tarde demais ou mesmo impossível protegê-la


Descubra quantos consumidores foram afetados por roubo de identidade e crime cibernético no ano passado e suas percepções em torno de proteções de privacidade no Relatório de Informações de Segurança Cibernética do NortonLifeLock™, que entrevistou mais de 10 mil adultos na Austrália, França, Alemanha, Índia, Itália, Japão, Holanda, Nova Zelândia, Reino Unido e Estados Unidos.

Quase 500 milhões de consumidores foram vítimas de crime cibernético, com quase 350 milhões só no último ano.

Dois terços dos consumidores declararam estar mais alarmados do que nunca sobre a sua privacidade (67%) e estão muito preocupados que suas identidades sejam  roubadas (66%), com 92% expressando, pelo menos, alguma preocupação1quando se trata da privacidade dos dados.
 

Os consumidores estão compreensivelmente preocupados com sua privacidade e tentam tomar medidas para se protegerem. Apesar de tomar medidas de precaução, muitos pensam que é  tarde ou mesmo impossível proteger sua privacidade. 

 

1Solicitou-se aos entrevistados que selecionassem até duas preocupações. 

O que os consumidores estão fazendo para se manterem seguros?

  Dois de cada três (66%) optaram, às vezes, por não fazer o download de um determinado aplicativo ou usar um serviço específico exclusivamente com base na sua política de privacidade, e mais de um terço (37%) optaram por não comprar um dispositivo de casa inteligente devido a questões de privacidade ou segurança.  

 

84% relatam ter adotado pelo menos uma medida para proteger suas atividades online e informações pessoais; no entanto, a maioria está adotando medidas básicas (limpeza de cookies, limitação de informações compartilhadas nas mídias sociais), e poucos vão além, como usar métodos de pagamento anônimos, excluir contas de redes sociais ou usar uma VPN. 

gráfico informativo 2 etapas de segurança realizadas

Apesar disso, mais de 60 % das pessoas acreditam ser impossível proteger sua privacidade ou que  seja tarde demais para isso porque suas informações já estão expostas. Além disso, mais da metade dos adultos de todo o mundo (52%) acreditam que as pessoas devem ser menos responsabilizadas (em comparação com empresas e governo) por garantirem a proteção de suas próprias informações . 

gráfico informativo - gráfico total global

Em quem os consumidores confiam para proteger suas informações e dados pessoais online?

 

Globalmente, os consumidores esperam que o governo assuma a maior responsabilidade pela proteção de informações pessoais , apesar de uma falta geral de confiança neles.

Menos consumidores confiam no governo do que em fabricantes de dispositivos inteligentes, instituições financeiras, provedores de serviços da Internet e varejistas/sites de compras online quando se trata de gerenciar e proteger suas informações pessoais, e menos da metade (44%) acreditam que seu governo está fazendo o suficiente quando se trata de privacidade dos dados e proteção de informações pessoais. No entanto, mais consumidores acreditam que o governo deve ter maior responsabilidade em relação a isso do que as empresas de coleta de informação ou os indivíduos que a fornecem. ​ 

 

Os consumidores criticam as empresas por não fazerem o suficiente para proteger informações pessoais, tornando as políticas de privacidade vagas e   difíceis de entender, e também por não oferecerem opções. 

Muito parecidas com as opiniões sobre o governo, menos da metade dos consumidores (43%) acreditam que as empresas estão fazendo o suficiente quando se trata de privacidade dos dados e proteção de informações pessoais. Com relação a políticas de privacidade, quase todos os consumidores (95%) admitem que não as leem , sendo que a maioria deles diz ser porque são muito confusas (73%) ou sentem que não têm escolha a não ser aceitá-las para usar um aplicativo ou serviço (78%) . 

 

Com as tecnologias emergentes, os consumidores enfrentam desafios e preocupações com o reconhecimento facial. 

 

Os consumidores relatam ter um pouco de conhecimento sobre o reconhecimento facial e onde ele está sendo usado no momento. Embora existam preocupações, a maioria apoia seu uso entre policiais, escolas e até varejistas. 
 

A maioria dos consumidores diz só ter ouvido falar (42%) ou está pouco familiarizado (37%) com o reconhecimento facial. Embora a imensa maioria dos consumidores acredita que as empresas (87%) e o governo (86%) devem ser obrigados a informar/comunicar quando ou onde  usam o reconhecimento facial, a metade ou menos acredita que ele esteja sendo utilizado em espaços públicos, como aeroportos, prédios governamentais ou bancos. 

Criminosos cibernéticos acessando ou manipulando dados de reconhecimento facial para roubar sua identidade (39%) são a maior preocupação dos consumidores,com 62% concordando que o reconhecimento facial provavelmente vai ser abusado ou mal utilizado no ano que vem, e 45% acreditando que fará  mais mal do que bem.

Apesar dessas preocupações, quando são apresentados com as possíveis vantagens e desvantagens de usar reconhecimento facial, a maioria dos consumidores apoiaria o uso para a polícia (69%), em escolas (63%) e, em menor grau, varejistas (54%), apesar de alguns dos riscos. 

1Solicitou-se aos entrevistados que selecionassem até duas preocupações. 

Use estas práticas recomendadas para se manter seguro

À medida que os consumidores continuam buscando maneiras de se proteger melhor, é importante praticar medidas simples de segurança cibernética:

 

Use senhas complexas:
Não repita suas senhas em sites diferentes. Torne-as complexas e escolha uma palavra aleatória que inclua uma combinação de pelo menos 10 letras, números e símbolos.

Mantenha seu software atualizado:
Criminosos cibernéticos frequentemente usam explorações ou falhas conhecidas no software para ganhar acesso aos dispositivos. A aplicação de patches nessas explorações e falhas (no computador, no telefone, nos aplicativos móveis e em outros dispositivos) pode diminuir a probabilidade de que você se torne um alvo de crimes cibernéticos. 

Use um conjunto de segurança da Internet com serviço completo:
Invista em um conjunto de segurança que ofereça proteção em tempo real contra malware existente e emergente, incluindo ransomware e vírus, e ajuda a proteger suas informações privadas e financeiras quando você está online.

Gerencie as suas configurações de redes sociais:
Mantenha a maior parte das suas informações pessoais e privadas bloqueadas. Os criminosos cibernéticos de engenharia social podem obter suas informações pessoais com apenas alguns pontos de dados, portanto, quanto menos você compartilhar de forma pública, melhor.

Fortaleça sua rede doméstica:
Uma VPN ajudará a criptografar todo o tráfego enviado e recebido por seus dispositivos. Se os criminosos cibernéticos conseguirem acessar sua rede, eles não poderão interceptar os dados enviados pela rede.

Tome medidas para ajudar a se proteger contra roubo de identidade:
As principais maneiras de ajudar a impedir o roubo de identidade incluem o uso de sites legítimos ao fazer compras online, o uso de uma rede segura, permanecendo atento a dispositivos conectados a leitores de cartão ou caixas eletrônicos e vigiando os extratos do cartão de crédito e os relatórios de crédito. Você também deve aproveitar as ferramentas de proteção, como alertas de roubo de identidade e cartões de crédito/débito EMV, como uma camada extra de proteção.

Como definimos o crime cibernético

A definição de crime cibernético continua evoluindo à medida que se abrem vias através das quais os criminosos cibernéticos encontram novas formas de atingirem os consumidores. Todos os anos, avaliaremos as tendências atuais de crimes cibernéticos e atualizaremos a metodologia do relatório, conforme necessário, para garantir que o Relatório de Informações de Segurança Cibernética do NortonLifeLock forneça uma imagem precisa do impacto dos crimes cibernéticos atualmente. No Relatório de Informações de Segurança Cibernética do NortonLifeLock de 2019, um crime cibernético é definido como um crime pessoal cometido através de dispositivos pela Internet. Isso inclui crimes nos quais um computador é usado para prejudicar um indivíduo, através de roubo ou fraude, e crimes que visam outros computadores e dispositivos conectados para acessar os dados do dispositivo ou que afetem a operação do dispositivo.
 

  • Detecção de software malicioso (por exemplo, spyware, ransomware, vírus, worms, cavalos de Troia, adware, etc.) em um computador, rede Wi-Fi, smartphone, tablet, smart home ou outro dispositivo conectado;  
  • Fornecimento de informações pessoais, informações financeiras ou dinheiro em resposta a um email, mensagem de texto ou site fraudulento;
  • Exposição de informações pessoais em uma violação de dados;   
  • Roubo de informações pessoais online e uso sem permissão;
  • Receber ameaça de publicação de fotos, vídeos ou informações pessoais confidenciais roubadas online;
  • Detecção de acesso não autorizado à sua rede Wi-Fi doméstica ou pessoal;
  • Detecção de acesso não autorizado em uma conta de rede social;
  • Detecção de acesso não autorizado em uma conta de e-mail; 
  • Detecção de acesso não autorizado em uma conta de varejo ou de compras online;
  • Detecção de acesso não autorizado em um banco online ou outra conta financeira;
  • Detecção de acesso não autorizado em outra conta online;
  • Perseguição, intimidação ou assédio online

Relatório de Informações de Segurança Cibernética do NortonLifeLock de 2018

As preocupações com a privacidade fazem com que os consumidores desejem mais controle, mas a comodidade sempre se sobrepõe ao risco
 

Veja como toda a atenção em relação a violações e privacidade de 2018 pode ter influenciado o comportamento dos consumidores e a compreensão de privacidade, segurança e roubo de identidade no Relatório de Informações de Segurança Cibernética do NortonLifeLock™ de 2018, que pesquisou mais de 16 mil consumidores em 16 países.

Relatório de Informações de Segurança Cibernética do NortonLifeLock de 2017

O excesso de confiança dos consumidores escancara a porta virtual para criminosos cibernéticos
 

Descubra as discrepâncias por trás do conhecimento percebido dos consumidores sobre crimes cibernéticos e seus comportamentos online não tão cuidadosos no Relatório de Informações de Segurança Cibernética do NortonLifeLock de 2017, que pesquisou mais de 21 mil consumidores em todo o mundo em 20 países.

Relatório de Informações de Segurança Cibernética do NortonLifeLock de 2016

Entrevistamos 20.907 adultos com acesso a dispositivos móveis em 21 países para saber mais sobre suas atitudes, seu comportamento e seus hábitos de segurança online. Veja como foi o desempenho deles em relação aos perigos e custos financeiros do crime cibernético.

Relatório de Informações de Segurança Cibernética do NortonLifeLock de 2015

Este relatório examina os comportamentos, as atitudes e os hábitos de segurança online dos consumidores, além dos perigos e dos custos financeiros do crime cibernético. O relatório faz uma verdadeira análise global do crime online e do custo emocional para os consumidores tendo como ponto de partida entrevistas com 17.125 usuários adultos de dispositivos móveis em 17 países.